Técnicas de black hat: saiba o que são e por que é um perigo utilizá-las

Técnicas de black hat: saiba o que são e por que é um perigo utilizá-las

Desde o surgimento dos buscadores, que trouxeram as palavras-chave como ferramenta de indexação de conteúdo e como régua do posicionamento dos sites nos resultados de pesquisa, alguns desenvolvedores identificaram meios para burlar o mecanismo de SEO. O objetivo era introduzir seus sites no ranking dos melhores colocados nas ferramentas de busca a qualquer custo. Era o início das chamadas técnicas de black hat.

Black hat (chapéu preto, em tradução livre) é uma alusão aos filmes clássicos de faroeste, em que o vilão sempre usa um chapéu preto. Esses métodos têm como preceito atingir os objetivos de rankeamento de maneira fraudulenta, inclusive cometendo crimes. Portanto, as técnicas de black hat são aquelas que, ao invés de prezar por um conteúdo de qualidade e tentar melhorar a página para atender ao algoritmo de busca, até mesmo como maneira de entregar ao leitor o que de fato ele quer ler, tentam fraudá-lo.

Quando essa prática começou a ser utilizada, programadores incluíam de maneira escondida no código do site várias palavras-chave e links e, assim, conseguiam as melhores colocações. De olho nesse tipo de ação, o Google vem promovendo constantes atualizações em seu algoritmo, justamente para identificar as práticas de black hat e também punir os sites que utilizam esses métodos. A ideia é priorizar quem realmente oferece conteúdos relevantes e sem manipulação.

Como funcionam as técnicas de black hat

As ferramentas de busca costumam rankear os sites priorizando aqueles que utilizam de maneira correta as boas práticas de SEO, como palavras-chave, título, URL amigável e alinhada ao conteúdo real e de qualidade.

Quem utiliza as técnicas de black hat tem como objetivo romper esses princípios, utilizando, por exemplo, comentários automatizados em blogs e manipulando os robôs dos motores de busca. Além de poluir o ambiente on-line, isso infringe códigos de ética e desagrada o público-alvo, que acaba caindo em sites e blogs sem informações confiáveis, apuradas e consistentes, não conseguindo esclarecer suas dúvidas.

Conhecidas como um conjunto de métodos agressivos de SEO, as técnicas de black hat não respeitam as regras das ferramentas de busca e visam um só objetivo: a obtenção de grandes resultados em pouco tempo. Mas é importante lembrar que nem todas as ações têm cara de más, não! Algumas você até pode ter ouvido falar em algum momento como iniciativas legítimas para garantir mais visibilidade.

Por isso, elencamos essas técnicas negativas por aqui para você conhecer quais são elas, entender por que são nocivas e mudar as práticas nos seus canais de conteúdo, caso eles utilizem algumas dessas ações. Vamos lá então?

Clique aqui e baixe grátis o infográfico sobre o que fazer para o marketing de conteúdo dar resultado

Keyword stuffing

É uma das primeiras técnicas desenvolvidas para burlar o SEO. Na keyword stuffing a ideia é incluir no texto determinada palavra-chave o máximo de vezes possível, o que demonstra falta de preocupação com a estrutura do conteúdo, deixando-o repetitivo e cansativo.

Essa prática não se preocupa com a qualidade das informações escritas, apenas com o aumento da utilização de palavras-chave para que os buscadores considerem determinado conteúdo relevante e, assim, o coloquem nas primeiras posições de rankeamento.

Para sanar esse tipo de problema, o Google tem trabalhado para diminuir a relevância da densidade da palavra-chave na página e aplicado penalidades a quem faz uso excessivo desse recurso.

Se você quer fugir desse tipo de técnica, a dica é que as informações sejam redigidas com naturalidade, sem a necessidade de inserir determinada palavra em cada trecho do texto. A indicação é que a densidade da palavra-chave seja de 2% ou até menos. Além disso, um bom conteúdo trabalha com sinônimos, de modo que as repetições que empobrecem o texto sejam evitadas.

Reforçando: as palavras-chave são legítimas e devem ser usadas ao longo do texto. Mas isso deve ser feito de forma moderada e orgânica, sem repetições que deixem o texto desagradável e poluído. Quando as repetições são desnecessárias e excessivas, aí a técnica deixa de ser positiva e passa a se caracterizar como keyword stuffing.

Conteúdo oculto

Outra técnica antiga que já foi bastante disseminada e utilizada é a de conteúdo oculto. Hoje, não é mais considerada como uma boa prática. Ela ocorre quando o administrador ou programador da página insere palavras-chave, links e outros termos escondidos nos códigos do site, blog ou mesmo no HTML dos textos. O foco é apenas nas ferramentas de busca, porque nada disso aparece ao usuário. Tal prática também é passível de penalidade pelos buscadores e é por isso que nunca deve ser utilizada.

Nessa técnica, o texto fica escondido da visão do visitante, seja por sobreposição de camadas (divs) por meio do uso de CSS, seja por uso da propriedade display none, também de CSS, para que o texto não apareça.

Assim, é possível inserir uma alta densidade de palavras-chave (como na técnica de keyword stuffing) sem que o visitante se incomode com isso, já que ele não consegue ver a má qualidade do que foi produzido. Ao mesmo tempo, as ferramentas de busca encontram o texto e o colocam em uma boa posição.

Essa é uma prática que, claramente, não prioriza a qualidade do conteúdo, muito menos seu público-alvo, mas apenas uma boa colocação no ranking. E também não surte mais efeitos positivos. Ao contrário!

Conteúdo duplicado

Como o próprio nome já diz, essa técnica tem como objetivo copiar o conteúdo de outros sites, causando duplicidade de informações. Algumas ferramentas de busca, como o Google, conseguem detectar essa cópia e desconsiderar o conteúdo idêntico a outro já existente. Por esse motivo que a criatividade e a originalidade devem ser utilizadas, evitando que seu conteúdo seja barrado nos buscadores.

Portanto, se você quiser reforçar a autoridade do seu negócio em relação à sua área de atuação e, para isso, pretende abordar novamente um tema já tratado em seu blog corporativo, cuidado! O melhor é escrever um novo texto, inédito, com informações atualizadas e qualificadas. Não caia na tentação de apenas copiar o que já está publicado há mais tempo. Repetir o conteúdo pode ser nocivo para a sua estratégia digital. Nem mesmo copie conteúdos de sites de notícias, Wikipédia ou concorrentes. O prejudicado será você!

Cloaking

De acordo com essa técnica, uma página é configurada para que seja exibida de uma maneira para os robôs de busca e de outra maneira para os usuários. A primeira exibição é feita apenas com o objetivo de torná-la bem posicionada, já a outra geralmente apresenta um conteúdo irrelevante ou de baixa qualidade.

Doorway pages

Tem como objetivo criar uma página otimizada por meio de palavras-chave que, quando acessada, redireciona o usuário para outro endereço. Assim, essa página serve como porta de entrada para conteúdos geralmente maliciosos ou com abordagens agressivas.

Spam em blogs e fóruns

Essa técnica tem como objetivo realizar postagens automáticas de comentários com links em fóruns e blogs. Essas informações geralmente possuem conteúdos irrelevantes e desconexos, pois a ideia é apenas disseminar esses links, que conduzem ao conteúdo (site, blog ou texto) que se quer rankear melhor.

Linkfarm

Por meio dessa técnica, vários participantes geram links entre si com o objetivo de melhorar a posição no ranking de todos os sites. As ferramentas de busca costumam identificar essa prática com facilidade, pois as páginas possuem os mesmos conteúdos que as outras, porém, carregadas de links.

Aqui é preciso dizer que direcionar conteúdos dos seus canais para outros blogs ou sites de referência não é uma técnica condenável. O problema é quando o uso de links é excessivo e eles conduzem a páginas sem relevância ou exatamente iguais à página de destino.

Produzir conteúdo de qualidade é o melhor caminho

Logicamente que existem inúmeros caminhos para se conseguir mais destaque nas redes. Mas todos eles passam, necessariamente, por produzir conteúdo de qualidade. As técnicas de black hat se caracterizam por estarem centradas apenas na técnica e pouco no conteúdo.

O ideal é saber dosar: você precisa da técnica ― afinal, os buscadores funcionam por meio de robôs e eles precisam encontrar o que você produz ―, mas é preciso ter conteúdo, porque, caso contrário, o seu leitor não vai ter interesse em ir além do virtual. Consequentemente, todo o trabalho de atração não valerá nada se você não reter o seu público.

Portanto, se você precisa de um auxílio para desenvolver conteúdos de qualidade, que encantem o seu público e que, ao mesmo tempo, sejam encontrados por meio de técnicas limpas e autorizadas pelos motores de busca, fale com a gente! Se quiser mais informações sobre este assunto, temos um e-book que explica certinho como trabalhar de maneira estratégica e eficaz o marketing de conteúdo. Assim, você conseguirá se posicionar como autoridade na sua área e conquistar seu público pela qualidade do que produz.

Clique aqui e baixe grátis o e-book sobre Marketing de Conteúdo

Aproveite para compartilhar este texto com seus amigos! Certamente as informações de dividimos com você aqui serão bastante relevante para todos. E se tiver restado alguma dúvida, deixe seu comentário no espaço abaixo! Estamos ansiosos para interagir com você!

Tópicos:

Comentários